Avaliação Escolar

A avaliação é parte integrante do processo escolar, acontecendo de forma continuada e tendo como finalidade maior a promoção do crescimento.

Ao apontar as conquistas realizadas e as dificuldades que ainda precisam ser superadas, o professor sinaliza para o aluno, para si, e para os pais o que deve ser mudado e o que deve permanecer, através do registro realizado cotidianamente.

Desmitificar a avaliação, dando-lhe sua verdadeira dimensão – auxiliar do processo de aprendizagem – é uma busca da nossa Escola.

Acreditamos que o mais importante é que o aluno perceba o quanto é bom e importante aprender. A preocupação em mostrar a outrem (no caso o professor) o que aprendeu torna-se secundária.

O ano letivo é dividido em 3 períodos, sendo que ao final de cada um deles o desempenho do aluno, no ano de escolaridade ou série, é traduzido por um conceito (A, B, C ou D).

Os conceitos atribuídos ao aluno podem ser assim descritos:

A - Objetivos total ou quase totalmente atingidos. Evidencia crescimento significativo, sem dificuldades.

B - Objetivos essenciais atingidos. Evidencia crescimento significativo, com pequenas dificuldades.

C - Objetivos parcialmente atingidos. Evidencia crescimento mais lento, com dificuldades médias.

D - Objetivos insuficientemente atingidos. Evidencia crescimento muito lento com elevadas dificuldades, apontando para uma retenção na série, caso não ocorra uma superação das dificuldades no decorrer do ano.

O instrumento utilizado na avaliação do rendimento escolar é a observação do desempenho do aluno em suas ações cotidianas, na execução de trabalhos práticos, tarefas individuais ou em grupo, leituras, exposição oral, entrevistas, etc..

São utilizadas, pelo professor, fichas de registro cumulativo para acompanhamento e registro do desenvolvimento dos alunos. A promoção, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio, requer um aproveitamento suficiente e um mínimo de frequência.

Estará apto ao ano de escolaridade seguinte o aluno que obtiver conceito final A, B ou C em todos os componentes curriculares daquela etapa e frequência igual ou superior a 75% do total de horas do ano letivo.

Será considerado não apto o aluno que obtiver conceito final D em que qualquer um dos componentes curriculares, com exceção de Artes e Educação Física, ou que não obtiver frequência mínima de 75% do total de horas do ano letivo.

No decorrer dos 1º e 3º períodos, os alunos do 2º ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio realizam uma autoavaliação por escrito, constituindo-se num momento muito especial de reflexão. Este documento, analisado e comentado pelo professor e pelos pais, permite uma visão de suas dificuldades e conquistas até aquele momento do percurso escolar.

No decorrer do 2º período, os alunos são convidados a realizarem uma avaliação do processo escolar, deslocando o foco de si mesmos e colocando a prática docente, as metodologias, o espaço escolar dentre outros, como objetos da avaliação, sempre visando a melhoria do processo ensino-aprendizagem. No 2º e no 3º ano de escolaridade esta avaliação do processo é feita individualmente; No 4º e no 5º ano é feita em duplas e a partir do 6º ano as turmas reúnem-se em assembléia por classe e produzem um documento único que retrata a visão avaliativa do grupo a respeito do processo escolar.

Escolas em Macaé

Educação Infantil e Ensino Fundamental